A comunicação efectua-se através de múltiplos códigos e modos de comportamento, verbal e não verbal: as palavras, os olhares, as mímicas, os gestos, as posturas, entre outros. Deste modo, expressamos tudo o que somos e desejaríamos ser perante nós próprios e perante os outros. 

Embora todos tenhamos presente a importância da comunicação, também é verdade que muitas vezes esta é deficiente, aumentando o grau de dificuldade à medida que avançamos para temáticas mais pessoais como é o caso da sexualidade.

Falar abertamente sobre os nossos afectos, desejos e angústias relativamente à sexualidade, seria o desejável.
O que faço e como o faço? 

Tenta falar sobre as coisas de que gostas e não gostas, pois o outro não as pode adivinhar, (tentar adivinhar aquilo que o teu parceiro gostaria, pode acarretar vários problemas, pois podes ter estado sempre a adivinhar erradamente, e o teu parceiro nunca te dizer com medo de te magoar).

O importante e necessário é que expresses os teus próprios pensamentos, sensações e ideias e deixar que o teu parceiro faça a mesma coisa, sem qualquer crítica ou juízo de valor. 

A partilha dos teus receios e desejos mais íntimos vai fazer toda a diferença.