A contracepção de emergência é uma forma de contracepção que pode ser utilizada depois de uma relação sexual não protegida ou nos casos em que há falha do método contraceptivo utilizado.

Pode ser utilizada até 120 horas (5 dias) após a relação sexual não protegida: 
  • quando não foi utilizado qualquer método contraceptivo
  • quando houve falha ou erro na utilização do método de uso regular, como por exemplo, rompimento do preservativo, retenção do mesmo na vagina, falha da toma da pílula, ou falha de outro método.
A contracepção de emergência é tanto mais eficaz quanto mais cedo for a sua toma. Sempre que possível, deve ser utilizada nas primeiras 24 horas após uma relação de risco.
Três semanas após a toma da contracepção de emergência a mulher deve fazer  um teste de gravidez.
A contracepção de emergência é a única forma de poder evitar uma gravidez após uma relação sexual desprotegida mas é menos eficaz que os métodos contraceptivos de uso regular.
A contracepção de emergência não previne as IST (Infecções Sexualmente Transmissíveis)

APF (Associação Para o Planeamento da Família)