Exceptuando algumas especificidades masculinas e femininas, há um certo número de características da puberdade que são comuns a ambos os sexos. É mais do que garantido que, durante a puberdade, irás confrontar-te com uma ou outra, ou com todas essas características. 

Borbulhas

Toda a gente tem borbulhas, pelo menos uma vez na vida. O pior é que elas aparecem geralmente quando melhor passaríamos sem elas — durante a adolescência, uma altura em que somos muito sensíveis à nossa aparência.

Contrariamente à crença popular, as borbulhas não têm nada a ver com chocolate, batatas fritas ou higiene pessoal! Na sua grande maioria, as borbulhas — especialmente as vermelhas e carnudas — têm causa hormonal e é por isso que surgem quando estamos tensos ou preocupados e, no caso das raparigas, na altura do período. A este tipo de borbulhas chama-se acne. Durante a puberdade, as hormonas activam as glândulas sebáceas, que podem começam a produzir gordura em demasia. As glândulas podem aumentar de tamanho (na face, nas costas ou no peito) e começar a segregar uma substância oleosa (sebo) que entope a saída da glândula, provocando uma borbulha.

A acne acabará por desaparecer. Entretanto, ninguém é obrigado a sofrer em silêncio até que isso aconteça: a acne trata-se e o médico pode ajudar receitando antibióticos.

Não espremas as borbulhas. Isso só faz com que elas se espalhem, criem cicatrizes e fiquem com pior aspecto. Também não vale a pena gastares dinheiro em produtos milagrosos para as borbulhas.


Dores de crescimento

Poderás vir a sentir umas pontadas dolorosas (ou mesmo dores) por todo o corpo. Onde elas mais se fazem sentir é nas costas, nas pernas e nos braços. Duram só uns minutos e ocorrem sobretudo durante a noite. Há especialistas que pensam que elas têm a ver com o crescimento rápido, mas há outros que discordam. Contudo, numa coisa estão todos de acordo: não são motivo de preocupação, a não ser que persistam ou se façam acompanhar por cãibras musculares. Nesse caso, é melhor consultares o médico para ele ver o que se passa.


Estrias

O crescimento é às vezes tão rápido durante a puberdade que a pele perde elasticidade. Quando isso acontece, aparecem marcas na pele — umas linhas cor-de-rosa, vermelhas ou brancas. As estrias (é este o termo médico com que são designadas) nunca desaparecem por completo, embora a cor se vá esbatendo. Nos rapazes, as estrias aparecem nas nádegas, nas costas e nos braços; nas raparigas, as estrias surgem nos seios, na barriga e nas pernas.


Odor corporal

A puberdade também afecta as glândulas sudoríferas. À medida que o organismo amadurece, as glândulas situadas nas axilas e nas virilhas começam a produzir um tipo de suor mais forte. É imprescindível que te laves todos os dias e mantenhas essas zonas limpas se não quiseres ter odor corporal. O odor corporal surge quando o suor (que não tem cheiro) entra em contacto com o ar e com as bactérias. Quando o suor seca no corpo ou na roupa, azeda, e é isso que provoca mau cheiro.

Além das lavagens frequentes, também ajuda usares roupa de algodão limpa. É aconselhável o uso de um desodorizante antitranspirante se suares muito (os desodorizantes só mascaram o odor corporal).


Pêlos púbicos e pêlos no corpo

Não é só aos rapazes que nascem pêlos no corpo e na cara. Algumas raparigas também notam pêlos a crescer no lábio superior e à volta dos mamilos. Não arranques com pinça, não rapes, nem uses cremes depilatórios nos pêlos à volta dos mamilos, porque essa zona é muito sensível e propensa a infecções nos folículos capilares. Esses pêlos são geralmente tão finos que só tu darás por eles, mas, se forem grossos e detestares ver-te com eles, corta-os com uma tesoura com muito cuidado.

Nunca rapes os pêlos da cara, senão ficas com barba. Se não gostares de ver-te com eles, usa cera depilatória, um produto para alourar os pêlos, ou um creme depilatório (à venda nas farmácias). Antes de usares qualquer creme depilatório, faz um pequeno teste na pele para ver se és alérgica ao produto. Os pêlos que crescem nas axilas e nas pernas podem ser rapados ou tirados com cera, mas lembra-te de que, quando começares a fazer isso, tens de continuar a fazê-lo com regularidade; se não, ficas com barba. O mesmo se aplica aos rapazes quando decidirem começar a fazer a barba.

Os pêlos púbicos começam por ser finos e macios, mas depois tornam-se mais grossos, rijos e encaracolados e são geralmente mais escuros do que o cabelo. Quando isso acontece, há mulheres que gostam de eliminar os pêlos que ultrapassam a cava das cuecas (ou do biquini). Há cremes depilatórios especialmente concebidos para esse efeito. Os pêlos dessa zona também podem ser eliminados com cera depilatória ou rapados (com cuidado!). Os pêlos púbicos são perfeitamente naturais: toda a gente os tem — homens e mulheres, os teus pais, os teus professores, o condutor do autocarro...


Pouca auto-estima

As causas da baixa auto-estima podem ser muito variadas: talvez odeies a tua aparência ou te sintas pouco à vontade no teu novo corpo; talvez tenhas engordado (o que é perfeitamente natural durante a puberdade) e te sintas infeliz por isso; talvez tenhas crescido e emagrecido muito e te sintas diferente de toda a gente; talvez tenhas todos os sinais de puberdade de que falámos atrás e te sintas mal com tanta coisa a acontecer ao mesmo tempo.

Ajuda-te a ti própria(o):

  • Não estabeleças comparações com ninguém. O ritmo de desenvolvimento e de crescimento varia de indivíduo para indivíduo: o que é normal para um pode não ser normal para outro; 
  • Come saudavelmente e faz exercício para te sentires melhor contigo e com o teu corpo; 
  • Fala acerca daquilo que sentes. Se não partilhares os teus receios e as tuas ansiedades com ninguém, sentes-te pior. Abre-te com os teus amigos e amigas, com os teus pais, com um familiar ou adulto em quem tenhas confiança, ou experimenta escrever um diário; 
  • Vai ao médico se continuares a não sentir-te bem (não precisas de levar os teus pais atrás!). 
Mesmo que apresentes todos estes sintomas da puberdade, não desesperes. A puberdade não dura sempre: o teu organismo e as tuas emoções acabarão por se acalmar e encontrarás o equilíbrio que procuras.

A puberdade não implica que estejas preparado(a) para fazer sexo, do mesmo modo que não basta saberes andar para correres a maratona. A puberdade é só um sinal de que o organismo está a amadurecer. Não é preciso começar logo a pensar em sexo. Assim como o organismo requer tempo para se transformar, também as emoções exigem tempo para amadurecerem.
 

In: NAYK, Anita – Sexo, Tudo o que precisas saber. Colecção Geração Fixe, Gradiva, 2001